O modelo de excelência da gestão

O modelo de excelência da gestão é uma visão sistêmica da gestão organizacional e apresenta algumas características importantes para o seu conhecimento.

No MEG, os fundamentos de excelência são expressos por meio de ações gerenciais. Para facilitar sua mensuração, qualitativa ou qualitativa, são propostas questões e solicitações de resultados a serem atendidas pela organização. As questões em alguns casos, solicitam complementos importantes para a excelência da gestão. O entendimento dessas questões e seus complementos bem como das solicitações de resultados, é apoiado por meio de orientações e inclui evidências que deveriam existir para sustentar uma avaliação utilizando os critérios.
O sistema de Pontuação possibilita a avaliação do grau de maturidade da gestão, pontuando processos gerenciais e resultados organizacionais.

Além disso, para que a excelência da gestão seja alcançada, são necessárias evidencias para sustentar as avaliações apresentadas acima, que são consideradas complementos primordiais dentro do processo.

Com o objetivo facilitar o entendimento de conteúdos relacionados, e produzir, de forma lógica, a condução de temas essenciais de uma organização, essas questões são agrupadas por critérios, que garantem a organização uma melhor compreensão de seu sistema gerencial, além de proporcionar uma visão sistêmica da gestão, do mercado e do cenário local ou global onde a empresa atua e se relaciona.

Essas questões trabalham juntas, como uma estrutura única e integrada, para gerir o desempenho da organização de forma sistêmica. Responder ás questões auxilia a organização a alinhar seus recursos. Identificar pontos fortes e oportunidades de melhoria; aprimorar a comunicação, a produtividade e efetividade de suas ações; e atingir os objetivos estratégicos.

Como resultado, a organização avança em direção a excelência da gestão e gera valor aos clientes e acionistas, a sociedade e a outras partes interessadas, o que contribui para a sua sustentabilidade e perenidade.

Vale enfatizar que o modelo não é prescritivo quanto a ferramentas, a estrutura ou a forma de gerir o negócio. Ele estimula que a organização esteja atenta as necessidades e expectativas das diversas partes interessadas e utilize essas informações para formular o seu planejamento estratégico e seus desdobramentos.

Incentiva, ainda o alinhamento, a integração, o compartilhamento e o direcionamento em toda a organização, para que ela atue com excelência na cadeia de valor e gere resultado a todas as partes interessadas. Sendo uma tradução dos fundamentos da excelência, os critérios estimulam a organização a responder de maneira ágil, assertiva e inovadora aos desafios propostos pelo cenário de negócios.

Fonte: Revista QPC – Critérios: (Primeiros Passos Para a Excelência, pg 14 )

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *